5 cuidados que você precisa ter com o cartão de crédito

5 cuidados que você precisa ter com o cartão de crédito

O cartão de crédito, com seu perfil sedutor, oferece muitas facilidades aos consumidores. Com ele é possível parcelar compras e participar de clubes de pontuação ou milhagens, que podem ser convertidos em diferentes prêmios. Ao mesmo tempo em que a modalidade dispõe de uma série de benefícios, é preciso ter alguns cuidados com o cartão de crédito.

É muito comum encontrar pessoas que tenham mais de um cartão, com diferentes limites e datas de vencimento. No entanto, a prática é pouco recomendada e a tendência de cair em uma dívida sem fim é muito grande.

A modalidade possui uma das taxas de juros mais altas do mercado financeiro, chegando até a impressionantes 453,74% ao ano. Para evitar transtornos, é importante que as pessoas tenham consciência na hora de consumir e tracem um planejamento financeiro, sem cair na ilusão das compras no crédito.

Separamos, neste artigo, 5 dicas para você não ter surpresas com sua fatura do cartão de crédito.

1. Não tenha limite de crédito maior que sua renda

Esta é a primeira recomendação dos especialistas da área de finanças: nunca gaste mais do que você ganha.

Na verdade, o ideal é que você gaste menos para conseguir fazer uma reserva de dinheiro para emergências. Seguindo esta recomendação, não terá problemas em pagar a fatura integral do seu cartão de crédito.

2. Acompanhe todos os seus gastos

É muito comum que as pessoas não monitorem seus gastos mensais e, em decorrência deste descuido, são surpreendidas na hora de pagar sua fatura.

Para facilitar, existem aplicativos de celular que podem ser a solução para quem tem dificuldades de gerenciar os gastos e criar hábitos de consumo mais conscientes. Estas ferramentas ajudam você a controlar melhor as finanças e não ter surpresas no fim do mês.

3. Pague sempre o valor total da sua fatura

Normalmente, o valor mínimo da fatura é calculado como 20% do montante total. No entanto, quando você deixa de pagar esses 80% restantes, no mês seguinte serão cobrados valores e taxas extras, muito acima do que aquele gasto efetivamente, como multa por atraso, IOF e os juros do cartão de crédito que, como já mencionamos, estão entre os mais altos do mercado.

4. Procure ter apenas um cartão de crédito

Administrar um cartão não é uma tarefa fácil. Agora, imagina ter que coordenar gastos e pagamentos de dois, três ou mais cartões de crédito, de diferentes bandeiras e instituições financeiras.

Não se engane ao pensar que, mesmo tendo vários cartões com limites pequenos, o impacto no seu orçamento será menor. Para facilitar a gestão, tenha apenas um cartão com um limite adequado ao seu orçamento e às suas necessidades.

5. Negocie a isenção de taxas de anuidade

As taxas de anuidade cobradas pelas operadoras costumam chegar em parcelas mensais pequenas, fazendo com que a maior parte das pessoas não repare nessas cobranças. No entanto, muitos clientes não sabem que é possível negociar a isenção desta cobrança. Embora os valores pareçam irrisórios, eles variam de R$ 250 a até R$ 1.200 por ano.

Hoje, o mercado dispõe de alternativas sem anuidade, como é o caso do Nubank, Digio e Neon. Conhecidas como fintechs, as startups de finanças oferecem serviços totalmente digitalizados. Desde a contratação, gestão dos gastos e emissão de boletos, todas as transações são realizadas online, permitindo que as empresas ofereçam benefícios como isenção de anuidade.

De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (ABECS), no Brasil a expectativa é de um crescimento de 7,5% do setor, apenas em 2017.

Facilidades como o parcelamento de compras levaram à consolidação do crédito no dia a dia dos brasileiros, mesmo diante de um cenário econômico de incertezas. Invista em um bom planejamento e tome os devidos cuidados com o cartão de crédito para não ser surpreendido com os juros altos e afundar-se em uma dívida.

Gostou do nosso artigo? Confira essas dicas de como a tecnologia pode ajudar você a economizar dinheiro!

Vale a pena investir na poupança? Saiba aqui!

Vale a pena investir na poupança? Saiba aqui!

Quem está começando a vida profissional acha que investir na poupança é a melhor saída. Afinal de contas, é uma maneira de guardar dinheiro de forma segura e ainda ganhar um pouco de juros em cima do total aplicado. Mas será que isso realmente vale a pena?

Para responder a essa pergunta, você precisa controlar seus gastos, entender como a poupança funciona e em quais situações ela é considerada um bom investimento. É por isso que criamos este post.

Aqui, apresentaremos as principais informações sobre essa aplicação e mostraremos outros investimentos nos quais é possível ganhar ainda mais. Então, vamos lá?

Como funciona a poupança?

Esse é o investimento mais acessível para os brasileiros. Para colocar seu dinheiro na poupança, basta abrir uma conta com essa finalidade em qualquer banco. As instituições financeiras geralmente não exigem investimentos mínimos. Basta entregar cópias de RG, CPF e comprovante de residência. Depois é só começar a aplicar seu dinheiro. 

Qual o rendimento da poupança?

A rentabilidade desse investimento muda de acordo com o índice da Selic, taxa básica de juros da economia. Quando ela está acima de 8,5% ao ano, o retorno contabiliza a Taxa Referencial (TR) mais 0,5%.

Se a Selic ficar abaixo ou igual a 8,5%, o rendimento é a TR mais 70% da taxa básica de juros. É importante observar que a rentabilidade é sempre a mesma, independentemente da instituição financeira.

A vantagem é o risco baixo. Ainda há a cobertura do Fundo Garantidor de Crédito, que retorna até R$ 250 mil por banco por CPF. A exceção são os correntistas da Caixa Econômica Federal, pois essa, em caso de falência, devolve todo o dinheiro investido. Porém, a possibilidade de isso acontecer é quase nula.

Outro benefício é a não exigência de pagamento de taxas ou tarifas para manter a poupança. A conta pode ficar aberta sem movimentação. No entanto, alguns bancos limitam os saques a 2 durante o mês. Acima disso, o cliente pode ser tarifado.

Quando investir na poupança é uma boa opção?

Essa alternativa só é interessante em 2 situações: quando você tem um valor muito pequeno para aplicar ou quando poderá precisar resgatar o dinheiro rapidamente. Como a poupança não exige depósito mínimo, você pode colocar qualquer quantia. Em outros investimentos, o montante exigido é mais alto.

Além disso, o saque pode ser feito a qualquer momento e não sofre tributação. Porém, se o valor ficar aplicado por menos de 30 dias, você não receberá retorno, porque a rentabilidade só é calculada no dia de aniversário da aplicação.

Quais são as outras opções de investimento?

Como você pôde perceber, a poupança não traz uma rentabilidade alta e não é a melhor opção em todos os casos. Além disso, existem aplicações tão seguras quanto essa e que trazem rentabilidades mais altas.

Em todos os casos, a rentabilidade é mais alta que a da poupança e pode ser pré ou pós-fixada. No primeiro caso, o retorno é fixo. No segundo, o rendimento depende da variação de um indexador, como a Selic ou o Certificado de Depósito Interbancário (CDI), que faz o lastro das operações entre bancos.

Veja algumas opções que fazem parte da renda fixa e que valem a pena:

  • Tesouro Direto: são títulos do governo federal que podem ser adquiridos a partir de R$ 30 (desde que isso corresponda a 1% do ativo). O retorno depende da opção escolhida e pode ser pré ou pós-fixado;
  • Certificado de Depósito Bancário (CDB): são papéis emitidos por bancos e que podem ser adquiridos a partir de R$ 500, dependendo da instituição financeira;
  • Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e do Agronegócio (LCA): são emitidos por bancos para financiar atividades desses segmentos. Exigem um investimento mais alto, mas o retorno tende a ser maior.

Quanto mais tempo o valor ficar aplicado, maior é o retorno em qualquer uma dessas aplicações. Para isso, é preciso abrir uma conta em uma corretora de valores e pagar as taxas. No entanto, no caso do Tesouro Direto, pode haver isenção de pagamento.

Agora que você já sabe como é investir na poupança, que tal pensar sobre os seus investimentos? Aproveite para ver mais dicas para poupar curtindo a nossa página no Facebook.

Saiba como e quanto guardar do salário todo mês!

Saiba como e quanto guardar do salário todo mês!

É muito comum encontrar pessoas que conseguem economizar dinheiro em uma poupança mesmo sem ter uma renda muito alta. Em contrapartida, também é comum conhecermos aqueles que não conseguem poupar nem um real mesmo tendo casa própria, ensino superior e bons salários.

Independentemente da sua renda, é fundamental que você entenda a importância de economizar e quanto guardar do salário todos os meses.

Embora muitas pessoas tenham grande dificuldade de guardar dinheiro, basta planejamento para conseguir contornar essa questão. Monitoramento de gastos, controle dos impulsos de consumo e mudança em alguns padrões de comportamento. Esses são alguns truques simples para quem deseja começar a poupar dinheiro.

Neste post, reunimos as principais dicas de como e quanto economizar do seu salário todos os meses. Confira a seguir:

Por que guardar o salário?

Muitas pessoas não sabem, mas economizar dinheiro mensalmente é a forma mais fácil de conquistar independência financeira. Além disso, é possível ter mais qualidade de vida quando não estamos sempre preocupados com o dinheiro acabando.

Conforme você conseguir poupar uma parte do seu salário todos os meses, será possível aplicar esse dinheiro em uma poupança e até mesmo em outros tipos de investimento mais rentáveis.

É também graças aos esforços em economizar dinheiro que podemos viabilizar metas de vida em curto, médio e longo prazo. Caso tenha uma emergência, como dívidas ou questões ligadas à saúde, você ainda terá uma reserva até que as coisas voltem ao normal.

Qual é o valor ideal para economizar?

É comum que as pessoas não saibam ao certo qual é a quantia ideal que se deve poupar a cada mês. Muitos especialistas apontam que é recomendável aplicar pelo menos 10% do seu salário.

Vale lembrar que este valor de 10% é referente ao seu salário líquido mensal. Portanto, se você recebe R$ 4.000 por mês, após o pagamento de suas contas e gastos com lazer, você deve economizar R$ 400,00, no mínimo.

Entretanto, essa não é uma regra, e sim uma recomendação. Esse percentual economizado por mês pode variar de acordo com os seus objetivos, por exemplo.

Se a sua meta é dar entrada em bens de consumo, como comprar um carro ou dar entrada em uma casa de veraneio, você deverá se programar para poupar mais dinheiro.

Como poupar dinheiro?

Após se conscientizar da necessidade de economizar dinheiro, o 1º passo é elaborar uma lista detalhando todos os seus gastos mensais.

Coloque na ponta do lápis como você utiliza o seu salário. Quanto dessa quantia você destina para:

  • alimentação;

  • lazer;

  • luz;

  • moradia;

  • telefone;

  • e transporte.

Sabendo exatamente quanto custa cada departamento da sua vida, será mais fácil cortar supérfluos e fazer pequenas economias diárias.

Qual é o papel da disciplina e do planejamento?

A partir deste levantamento detalhado, você estará apto a definir uma estratégia para economizar.

Possivelmente, você descobrirá muita dificuldade em poupar dinheiro, pois são os gastos supérfluos os mais delicados de eliminar do nosso cotidiano. Mas, se você tem aspirações maiores — como garantir uma aposentadoria tranquila —, precisará de planejamento e disciplina.

Comece reduzindo as idas aos barzinhos, restaurantes e shoppings. Se ainda assim não conseguir atingir o percentual ideal, será necessário cortar temporariamente esses gastos.

Esse tipo de medida pode revelar que talvez você precise tomar medidas mais drásticas, como reduzir gastos com itens de 1ª necessidade. Reveja o seu plano de TV a cabo ou a velocidade da sua internet, reduza os gastos com luz elétrica tomando banhos mais curtos e até mesmo lavando roupas com intervalos maiores.

Como guardar dinheiro gradualmente?

A maioria dos brasileiros não tem o hábito de economizar dinheiro e, no começo, essa tarefa pode ser bem difícil.

Como cada caso é um caso e não temos uma maneira exata para começar a ter resultados positivos nessa empreitada. Uma dica valiosa é começar aos poucos.

No 1º mês, em vez de poupar 10%, estabeleça um percentual menor e vá aumentando progressivamente.

Esse exercício fará com que você se acostume ao hábito de se planejar e guardar dinheiro. E, após alcançar a meta dos 10% economizados, você pode inclusive começar a aumentar esse índice mês a mês.

A poupança é uma boa opção?

Para quem não deseja assumir muitos riscos na hora de fazer economias, a poupança ainda é a forma mais segura.

Ainda que o seu rendimento seja muito abaixo de outras modalidades de investimento, grande parte dos brasileiros recorre à poupança pela sua facilidade e segurança.

Se você busca rentabilidade, procure um profissional especializado para entender outras formas de investir tendo um retorno maior.

Quais aplicativos podem ajudar a economizar?

Hoje, a tecnologia é uma grande aliada de quem deseja controlar as finanças e começar a poupar dinheiro. O mercado dispõe de inúmeros aplicativos que ajudam os usuários a estabelecer um orçamento, monitorar gastos, calcular uma estimativa de quanto dinheiro deve ser economizado etc.

Confira alguns exemplos:

  • GuiaBolso: é uma plataforma que permite sincronizar todos os gastos do usuário. Inclusive, o aplicativo oferece a possibilidade de cadastrar contas de diferentes bancos para um monitoramento completo. O app está disponível para download em Android e iOS;

  • Moni: disponível apenas para sistema iOS, o Moni possui interface simplificada para cadastro de gastos;

  • Organizze: é possível monitorar as entradas e saídas de dinheiro, criando tags para diferentes tipos de gastos. Compatível com Android e iOS, o aplicativo é capaz de estabelecer metas e um planejamento financeiro para o usuário.

Economizar é sinônimo de sofrimento?

Um dos argumentos mais comuns das pessoas é dizer que o importante é viver o momento e deixar o amanhã literalmente para depois. Contudo, o que muitos não sabem é que economizar não é sinônimo de privações.

É importante que, dentro da sua renda mensal, você destine uma quantia a ser usada em momentos de lazer. Mas também é fundamental criar a consciência de que uma poupança pode ser o caminho mais fácil para concretizar os seus sonhos maiores.

Para isso, basta transformar alguns hábitos. Comece a levar almoço para o trabalho ou tome café da manhã em casa, por exemplo. No final do mês, você verá como economizar dinheiro é mais simples do que parece.

Estudos, previdência, montar o seu próprio negócio e tantos outros sonhos podem se tornar realidade quando economizamos parte do nosso salário. Graças a um bom pé de meia, por exemplo, você poderá realizar aquela tão sonhada viagem para Europa ou finalmente dar entrada no seu imóvel próprio.

Faça cálculos e entenda como é seu padrão de vida hoje. Isso facilitará muito para que você entenda quais são os pontos fracos na sua rotina financeira. Dessa forma, você saberá exatamente quanto guardar do salário a cada mês.

Viu como poupar dinheiro não é um bicho de 7 cabeças? O que você achou das nossas dicas? Siga em nosso blog e descubra como criar hábitos para economizar!

Confira 8 dicas imperdíveis para fazer seu controle de gastos

Confira 8 dicas imperdíveis para fazer seu controle de gastos

É comum você receber seu pagamento e pouco tempo depois sua conta já estar quase zerada? O controle de gastos é algo fundamental para que você tenha uma rotina equilibrada, mas, embora pareça fácil, essa ainda é uma tarefa bastante complexa no dia a dia da maioria das pessoas.

De acordo com o recente levantamento lançado pela PEIC (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor), o número de famílias endividadas no Brasil chegou aos 57,1%. Ainda que o índice represente mais da metade dos lares do país, o percentual se mantém abaixo dos 57,7% registrados no mesmo período de 2016.

Seja mais criterioso na hora de fazer uma compra, pesquise os melhores preços e controle seus impulsos. Esses fatores são decisivos para quem almeja ter uma vida financeiramente saudável. Aplicar práticas de consumo consciente também te ajudará a organizar melhor seu dinheiro.

Neste artigo, selecionamos 8 dicas infalíveis para você controlar melhor os seus gastos. Acompanhe:

1. Entenda o tamanho do seu patrimônio

Pode parecer uma surpresa, mas é muito comum que as pessoas não tenham ideia do tamanho do seu patrimônio. Isso engloba tanto os ganhos mensais e até mesmo as dívidas acumuladas.

Sem saber exatamente a proporção do seu rombo financeiro será muito difícil traçar metas para controle dos gastos. Mesmo que você corte tudo o que é supérfluo em busca de uma vida financeiramente equilibrada.

Por isso, é muito importante que você procure acompanhar de perto seus gastos, faturas de contas, cartão de crédito e até mesmo sua declaração de renda. Assim, será possível visualizar sua evolução ou retrocesso no campo financeiro.

2. Defina quais são suas prioridades

Restaurantes, passeios, liquidações no shopping center, sapatos novos… São muitas as tentações do dia a dia que levam as pessoas a se afundarem num mar de dívidas.

É claro que saciar alguns de nossos prazeres é um fator importante de nossas vidas. Contudo, se você está em busca de uma rotina financeira mais saudável, será imprescindível eliminar alguns gastos supérfluos do seu cotidiano.

Se você gosta de música e cinema, procure alternativas gratuitas de lazer em festivais e mostras paralelas, por exemplo. Você é apaixonado por gastronomia? Não é preciso deixar isso de lado, mas você pode ter uma grande economia ao reduzir o número de jantares em restaurantes da moda.

3. Evite as compras por impulso

Quando precisar ir às compras, faça uma lista. É importante já sair de casa sabendo tudo o que você precisa, pois isso te ajudará a evitar as compras por impulso.

Para driblar a impulsividade é fundamental que você trace um planejamento e, acima de tudo, siga ele à risca.

Outra dica importante é: fique atento às facilidades de pagamento. As opções aparentemente atraentes de parcelamento podem esconder armadilhas que comprometerão sua rotina financeira no futuro.

4. Anote seus gastos

Se mesmo controlando ao máximo os impulsos de consumo você encontra problemas na hora de organizar as contas, uma boa alternativa é anotar todos eles.

Desde a balada ao café na hora do almoço, supermercado, combustível, conta de água, luz, internet, absolutamente tudo! Colocar no papel os valores e como exatamente gasta seu dinheiro permitirá que você faça uma autoanálise sobre o seu comportamento de consumo.

Com todos os gastos documentados, você conseguirá visualizar ao longo do mês como investiu seu dinheiro e poderá buscar mais equilíbrio na sua receita.

5. Pesquise bem antes de uma compra

Se você precisa fazer uma compra grande, de mercado ou um eletrodoméstico, o ato de pesquisar é fundamental para conseguir economizar.

Monitore diferentes lojistas e até as marcas, perceba a oscilação de preços entre os produtos antes de comprar. Pesquise na internet, muitas lojas oferecem entregas gratuitas a partir de determinado valor, e os preços, muitas vezes, são mais em conta.

Filie-se também aos clubes de compras, esta modalidade é muito comum em grandes varejistas. Eles possibilitam que você acumule pontos e com isso poderá ganhar descontos e trocá-los por produtos ou até mesmo reverter em novas compras.

6. Repense seu padrão de vida

Essa é, provavelmente, uma das principais dicas para quem deseja se organizar financeiramente e alçar voos ainda maiores. Para entender se o seu padrão de vida é adequado, você precisará fazer uma autoanálise.

O que eu realmente gosto? Saciar um prazer momentâneo é algo que me satisfaz, mesmo deixando de lado planos maiores? Quão longe eu estou dos meus verdadeiros sonhos?

Entendendo quais são suas reais motivações de vida, você saberá se está, de fato, aplicando e gastando corretamente seu dinheiro. Essa é uma medida que requer sacrifícios, mas que as recompensas em longo prazo serão enriquecedoras.

Talvez você não precise de todas as roupas da moda ou o celular do momento, mas sim uma viagem para o exterior ou um curso que há tanto tempo deseja fazer.

Com autoconhecimento será mais fácil estabelecer prioridades e mudar seu comportamento financeiro.

7. Estabeleça metas

Controle de gastos não é uma tarefa fácil, ainda mais se pensarmos que para ter êxito nessa missão é preciso abrir mão de algumas regalias. E é justamente para combater o apelo sedutor das tentações da vida que você deve criar metas para recompensar seu esforço.

Coloque no papel quais são seus sonhos, desde os menores até aqueles que você nem pensa em conseguir realizar. A partir disso, trace seus objetivos e os passos que deverá trilhar para conseguir atingi-los.

8. Fuja do cartão de crédito e parcelamento

Muitas pessoas não compreendem que o cartão de crédito é um dinheiro que não existe. Mais importante: é um dinheiro que não é seu. Essa regra também se aplica ao limite do cheque especial, preste muita atenção a esse tipo de facilidade.

Fique atento aos gastos no cartão de crédito e principalmente às compras parceladas. Essa soma pode chegar como uma surpresa nada agradável na sua fatura.

Com as altíssimas taxas de juros, o cartão de crédito e cheque especial são, hoje, os principais responsáveis pelo endividamento das pessoas. Por isso é fundamental que você programe seus gastos para não ter de recorrer a esses mecanismos.

Invista em educação financeira para te ajudar a administrar seu salário e seus gastos. Se achar necessário, você pode recorrer ao serviço de consultorias e profissionais qualificados para te ajudarem a administrar seu dinheiro. Procure também aplicativos e sites especializados, a tecnologia pode ser uma grande aliada na reorganização das suas finanças.

O controle dos gastos ainda é um grande desafio para os brasileiros, mas com informação e planejamento é possível sim sair do vermelho e ter uma vida financeira mais equilibrada. Mantendo o foco e o comprometimento ficará cada vez mais fácil gerenciar seus gastos.

Quer entender mais sobre finanças e contabilidade? Então assine nossa newsletter e saiba como a Suporte Cont pode ajudar você e a sua empresa com o controle de gastos!

Saiba agora como criar hábitos para economizar

Saiba agora como criar hábitos para economizar

O mundo é uma caixinha de surpresas, em que cada dia representa uma nova possibilidade, às vezes com acontecimentos até então impensáveis, não é mesmo?

Diante de um cenário tão imprevisível, nada mais sábio do que poupar dinheiro seja para se garantir no futuro ou até mesmo para realizar uma viagem dos sonhos. Afinal, ter uma graninha extra sempre faz bem, ainda mais quando surgem situações inesperadas.

Contudo, nem todo mundo consegue guardar uma parte do salário. Gastando praticamente o valor que ganham, alguns profissionais não estouram o orçamento, mas também não conseguem deixar o saldo no azul. Porém, é possível mudar isso, fazendo com que a balança sempre fique positiva.

Confira, então, alguns hábitos para economizar que você deve colocar em prática.

Estabeleça metas

O primeiro passo para conseguir poupar é definir metas, mas não só a longo prazo. É preciso também pensar nos seus objetivos a curto e médio prazo. Mentalize e até escreva quais são os seus desejos e planos tanto na esfera profissional quanto na pessoal.

A partir disso, pense que cada centavo é um passo rumo à realização do seu sonho. Ao focar nessa ideia, será mais fácil juntar o dinheiro, sendo apenas uma questão de tempo até que você consiga o valor necessário para colocar em prática aquele tão desejado plano.

Pense no valor do seu trabalho

Se tem uma estratégia eficiente para poupar dinheiro, é a seguinte: sempre que for comprar algo, pense no tempo que você precisou trabalhar para conquistar aquele dinheiro.

O seu salário é bastante suado. Foi necessário abrir mão de finais de semana e, às vezes, realizar inúmeras horas extras. Afinal, acontecimentos importantes surgem a qualquer momento e o bom jornalista está sempre preparado para apurá-los, independentemente da hora.

Lembre-se que apenas algumas saídas ou a compra de um produto podem equivaler a um terço da sua remuneração (isso quando não é quase a metade do salário). E ninguém melhor do que você mesmo para reconhecer quão difícil foi conseguir aquele dinheiro.

Para não ter erro, avalie ainda se o item em questão é emergencial ou algo supérfluo, que pode esperar. Se ainda assim você acha que o investimento vale a pena, então vá em frente, pois deve ser algo muito importante.  

Opte por pagamentos no débito

Claro que os cartões de crédito são uma mão na roda, não só porque estendem um pouco o prazo de pagamento, mas também porque eliminam a necessidade de ficar andando com dinheiro, evitando assim a possibilidade de ser roubado.

Porém, eles também são os principais vilões quando o assunto é poupar. Ao utilizar o cartão de crédito, a pessoa tem a falsa sensação de que o dinheiro não está saindo do bolso dela. Além do mais, ela perde mais facilmente o controle de quanto já foi gasto. Aí, quando chega a fatura, é aquele susto.

Por isso, o mais recomendado é fazer o pagamento no débito ou em espécie. Essa simples ação pode ajudar a diminuir os seus gastos. Até porque grande parte dos brasileiros compra por impulso, sendo esse um dos principais fatores da desorganização nas finanças pessoais.

Faça uma planilha de gastos

Se colocar na ponta do lápis todos os seus gastos — mas todos mesmo, hein? Desde os barzinhos do final de semana até mesmo os lanches feitos na rua —, você provavelmente vai ficar espantado.

Nesse momento, você perceberá inúmeros desperdícios, conseguindo assim fazer um orçamento mais razoável, visando poupar uma certa quantia.

Mas, para que essa alternativa resulte no efeito desejado, é preciso ter um controle rígido com as anotações por, pelo menos, uns dois meses. A partir de então, será possível traçar um planejamento mensal.

Fique alerta, pois não basta apenas elaborar um planejamento bem estruturado. Você deve segui-lo à risca, garantindo assim o sucesso da missão.

Adote um estilo de vida consciente

Se você é uma pessoa com um estilo de vida mais equilibrado, ótimo. Caso contrário: está na hora de começar a agir e buscar por novos hábitos.

Por exemplo, se antes você só comprava roupas em lojas renomadas com preços exorbitantes, que tal expandir os seus horizontes e procurar por marcas alternativas, com melhor custo-benefício?

Outro ponto que vai ajudar, e muito, é reduzir as alimentações na rua, excluindo, por exemplo, o habitual happy hour com os amigos. Não pense duas vezes em começar a realizar mais refeições em casa.

Ainda tem mais: ao ir ao supermercado, sempre vá com uma lista já definida dos produtos que precisa. Assim você não corre o risco de comprar coisas desnecessárias.

Não se esqueça também de sempre fazer uma pesquisa de mercado, procurando as lojas que oferecem qualidade atrelada a bons preços e, claro, de maneirar nos gastos relacionados ao lazer. Às vezes, eles consomem uma parcela expressiva do seu orçamento.

Honre os seus compromissos

Não há dinheiro mais desperdiçado do que aquele que é gasto com multas. E, como você bem sabe, o fator que as geram são os atrasos. Por isso, ao realizar uma compra, certifique-se de que o valor do produto está dentro do orçamento e, claro, que é possível pagar no prazo estipulado.

Evite a qualquer custo fazer uma conta pensando em usar o cheque especial ou outras formas de empréstimo, pois isso é a fórmula certa para um caminho desastroso. O ideal, nesse aspecto, é juntar o dinheiro necessário para arcar com o valor total.

Além disso, comece um planejamento para quitar todas as suas dívidas. Procure o responsável e faça uma renegociação. Ao se livrar dos temidos juros abusivos, você terá chances maiores de obter êxito na tarefa de poupar dinheiro.

De forma clara e direta: para conseguir juntar um valor expressivo, é preciso ter comprometimento e se dedicar a essa tarefa, tendo em mente que o seu esforço será recompensado!

Gostou do conteúdo e acha que muitos amigos precisam também aprender mais sobre esses hábitos para economizar? Então compartilhe o post nas redes sociais e garanta que estas informações cheguem a eles. Assim, eles não vão mais ter justificativa para não conseguirem fazer aquele tão cobiçado e importante pezinho de meia.

Confira como a tecnologia pode ajudar a economizar dinheiro

Confira como a tecnologia pode ajudar a economizar dinheiro

Economizar dinheiro não é uma tarefa fácil. Ainda mais quando a vida adulta começa, os ganhos e as responsabilidades vêm em conjunto e ter controle sobre suas finanças podem parecer um quebra-cabeça com muita peça para pouco encaixe.

Felizmente, várias empresas e serviços no mundo inteiro estão desenvolvendo aplicativos e sites para ajudar pessoas a economizar e planejar melhor seus objetivos. Veja como tirar proveito desse tipo de solução e aprenda a usar aplicativos para economizar dinheiro:

Tecnologia e educação financeira

Uma realidade muito comum no mundo e ainda mais no Brasil é que nós não somos bem preparados durante a infância e a adolescência para lidar com nosso próprio controle de finanças. O resultado dessa deficiência em educação financeira é que chegamos à vida adulta tendo que aprender na marra a como lidar com o dinheiro.

Felizmente, a tecnologia vem ajudando jovens a fazerem essa transição de uma forma mais suave, dando apoio com aplicativos e programas que organizam sua vida financeira e facilitam o controle.

Essas ferramentas não são apenas uma forma de visualizar melhor e entender seus gastos, mas de se planejar para atingir suas metas, seja fazendo uma viagem ou comprando algo que sempre quis. Afinal, economizar é, acima de tudo, planejamento.

As vantagens de usar aplicativos para economizar dinheiro

Mas como funcionam esses benefícios todos que a tecnologia pode trazer ao seu dia a dia? Os aplicativos de controle financeiro são hoje as melhores ferramentas para economizar dinheiro porque unem controle, previsão e planejamento.

Vejam quais são as vantagens de adotar esse tipo de solução na sua vida:

Controle financeiro onde você estiver e quando você quiser

Por mais organizada que uma pessoa seja, sempre houve um problema sério para qualquer um que queira controlar suas finanças: Não dá para saber de cabeça todos os gastos que você tem.

Isso inclui seus pais, seus tios, seus avós. A planilha financeira fica em casa na hora de conferir os gastos do mês, mas sem o auxílio da tecnologia é muito difícil acompanhar as finanças em tempo real.

Com aplicativos especializados, essas informações estão o tempo todo no seu bolso. Você pode adicionar ganhos e despesas quando quiser, gerar relatórios e prever quanto vai gastar no fim do mês a cada compra que fizer. Dessa forma, fica muito mais fácil evitar os desperdícios e não cair nas armadilhas das compras por impulso.

Segmentação de informação financeira

A melhor forma de garantir um bom controle financeiro é saber de onde está vindo e para onde está indo o dinheiro. Aplicativos desse tipo permitem que você segmente ganhos e gastos por categorias, entender onde você gasta mais e por quê.

Portanto, esse é um jeito incrível de controlar sua vida financeira, dando prioridade para os gastos importantes e até separando dinheiro para gastar com o que te dá prazer. Economizando naquelas compras dispensáveis ou aquela assinatura de TV a cabo enquanto você só assiste a Netflix.

Equilíbrio entre gastos sazonais e fixos

A parte essencial dessa segmentação é separar nos seus gastos o que é sazonal e o que é fixo. Existem despesas que não dá para fugir: água, luz, condomínio, aluguel… Mas é possível economizar quando as coisas apertam.

Imagine que com o histórico das contas é possível ver um gráfico de mês a mês e entender onde você está gastando muito e como economizar para gastar com outras coisas.

Do lado dos gastos sazonais, ter uma relação das compras pode definir bem o que é por impulso e o que foi realmente necessário para, assim, se controlar melhor no próximo mês. Aplicativos de celular para controle financeiro te ajudam a ter todas essas informações nas pontas dos dedos.

Visualização mais prática e fácil de gastos

Mas não adianta nada ter tanta informação e não saber o que fazer com elas. Um dos grandes problemas da educação financeira tradicional é, o quanto seu processo de documentar e analisar gastos são cansativos e desinteressantes. Quer saber quanto? É só analisar uma planilha.

Se o aplicativo é bom, você consegue esse controle sem muita dificuldade. Todos esses dados e segmentação do quanto você ganha e gasta, são apresentados de forma simples e bem visual, até lúdica. Isso estimula a economia de dinheiro porque torna seu controle financeiro quase como um jogo.

E como em um jogo, nós sempre queremos ganhar. Nesse caso, você vai querer economizar mais a cada mês só para bater o recorde do anterior.

Unificação de contas

Outro baita problema das planilhas feitas à mão é tentar conciliar sua conta que recebe o salário, da poupança e de um fundo de investimento. E ainda registrar direito o pagamento no fim do mês com o extra dos freelances para ter tudo o que você ganhou em um só lugar.

A tecnologia ajuda na automação dos processos maçantes para que você foque em controle. Isso funciona para o editor de texto que corrige erros gramaticais automaticamente e funciona para os aplicativos mobile que fazem a integração de diversas contas para você.

Planejamento financeiro

E por que ter todos os seus ganhos e gastos unificados, segmentados e podendo ser visualizados de maneira prática e fácil? Como isso realmente me ajuda a economizar dinheiro?

É simples, ter controle sobre suas finanças te permite planejar o futuro. Aplicativos financeiros te permitem criar metas para ter o dinheiro disponível quando você quiser fazer aquela compra especial, viajar ou aumentar a família com conforto.

Afinal, o objetivo do controle financeiro é esse: segurar o impulso agora e se preparar para o futuro.

Economizar dinheiro sempre foi algo complicado para jovens que não receberam tanta educação financeira e tinham que bater muito a cabeça antes de aprender como se controlar.

Hoje em dia, a tecnologia vem acabando com esse espaço entre teoria e prática e os aplicativos mobile, principalmente, são ferramentas indispensáveis se você quer começar a planejar o seu futuro.

E aí, se empolgou com o assunto? Quer começar hoje a economizar dinheiro e gastar com o que realmente é importante para você? Então conheça o Meu Gestor, aplicativo de gestão financeira que pode te dar todas essas vantagens em um só lugar!