Como calcular o 13º salário dos funcionários?

Como calcular o 13º salário dos funcionários?

Com a chegada do fim do ano, aumenta a expectativa de crescimento em diversos setores da economia, como o varejo. Isso acontece graças a importantes benefícios previstos para o período. Um deles é o 13º salário.

Também conhecido como gratificação de Natal, o benefício foi criado, no Brasil, em 1962. Ele garante ao trabalhador receber o equivalente a 1/12 de sua remuneração por mês trabalhado, ou seja, ao final de um ano chega-se à soma de um salário adicional.

Neste artigo, reunimos dicas que vão ajudar você a entende como calcular o 13º salário  de forma correta para os funcionários de uma empresa. Confira!

Como calcular o 13º salário?

O cálculo do benefício é feito a partir do salário integral do trabalhador. O valor total deve ser dividido em 12 vezes, que corresponderão aos meses ao longo do ano.

Para chegar à conta final, basta multiplicar esse valor pela quantidade de meses trabalhados.

Por exemplo: se o seu funcionário tem um salário bruto de R$ 2.400,00, dividindo esse valor por 12 chegaremos ao valor de R$ 200. Pensando que ele trabalhou um total de 10 meses, o décimo terceiro salário devido é de R$ 2.000,00.

É importante reforçar que adicionais como hora extra, adicional noturno, seguro insalubridade, comissões e outras bonificações também devem ser incluídos nessa conta.

Já nos casos de falta, excedendo o número de 15 ausências não justificadas em um mês, o trabalhador perde o direito de receber o 1/12 referente àquele período.

Quais os prazos para pagamento do benefício?

Chamada de adiantamento, a primeira parcela do benefício deve ser paga entre os dias 1º de fevereiro e 30 de novembro. Já a segunda parte do pagamento ocorre sempre até o dia 20 de dezembro.

Contudo, as datas de pagamento dependem de suas respectivas posições no calendário anual. Exemplo: se a data limite cair em um domingo ou feriado, o empregador deve antecipar o pagamento para o último dia útil anterior.

Lembre-se de que a primeira parcela do décimo terceiro é sempre livre de descontos. Na segunda parte do pagamento são descontados os valores referentes aos encargos de INSS e Imposto de Renda.

Ainda para o caso da primeira parcela, essa pode ser paga acompanhada das férias do trabalhador. Para ter direito a esse formato de adiantamento, é necessário fazer uma solicitação por escrito ao empregador até o mês de janeiro do ano previsto para o descanso.

Como proceder em caso de rescisão de contrato?

Nos casos de rescisão contratual, o pagamento do 13º salário deverá ser realizado proporcionalmente ao tempo de atuação na empresa.

Portanto, se o funcionário teve 90 dias trabalhados, desde o início do na,o ele terá direito a 3/12 do valor referente ao benefício, e assim sucessivamente.

Quem tem direito ao 13º salário?

Segundo as diretrizes que definem quem pode ou não ter acesso ao 13º salário, estão aptos a receber o benefício:

  • trabalhadores com carteira assinada (domésticos, urbanos, rurais ou avulsos);
  • aposentados e pensionistas do INSS.

No caso dos trabalhadores, aqueles que exerceram sua atividade por um período de 15 dias ou mais já têm direito ao abono salarial.

Se para os trabalhadores é um momento muito esperado, para as empresas a chegada do fim do ano pode ser um tormento.Com a obrigatoriedade do pagamento, muitos empresários sofrem pela falta de planejamento financeiro. Portanto, sabendo como calcular o 13º salário e investindo em organização, será muito mais fácil gerenciar o pagamento desse benefício.

E você, o que achou das nossas dicas? Curta nossa fanpage e acompanhe as principais novidades sobre gestão empresarial!

Conheça as principais regras e prazos do eSocial

Conheça as principais regras e prazos do eSocial

Exercer a atividade empresarial no Brasil sempre foi um grande desafio. Além da própria competitividade do mercado, a quantidade de exigências e de obrigações legais é enorme. Por isso, ficar em dia com a legislação era bastante complicado, o que fortalecia a chamada “economia subterrânea”, minando importantes receitas tributárias dos cofres públicos. O eSocial veio para ajudar na solução desse problema.

As empresas deveriam processar uma série de documentos, livros, registros, cadastros, entre outros, o que dificultava o exercício da atividade econômica e favorecia a ocorrência de infrações à lei.

Para resolver esses problemas e sobretudo, para facilitar o controle fiscal e a arrecadação tributária, o Governo Federal criou o eSocial, uma ferramenta eletrônica capaz de trazer mais simplicidade e rapidez no processamento das informações empresariais. E é sobre ela que falaremos no post de hoje.

Vamos conhecer como funciona e quais são as principais regras e prazos do eSocial.

Então, se você trabalha no departamento pessoal de uma empresa ou é gestor do próprio negócio, não deixe de ler esse post. Ele foi feito para você. Confira!

Do que se trata o eSocial?

O eSocial é a nova ferramenta eletrônica criada pelo Governo Federal, por meio do Decreto 8.373 de 11 de dezembro de 2014.

Ele faz parte do Sistema Público de Escrituração Digital – SPED – e veio para facilitar a prestação de informações das empresas aos órgãos governamentais, sejam elas obrigações fiscais, previdenciárias, comerciais ou trabalhistas.

O eSocial vai aperfeiçoar e padronizar a transmissão, a validação, o armazenamento e a distribuição de todos os dados tributários, previdenciários e trabalhistas referentes aos custosos contratos de trabalho.

Essas informações comporão um cadastro único de caráter nacional.

A adesão ao eSocial é obrigatória para todas as empresas, independentemente do seu porte ou segmento. Até mesmo os empregadores domésticos devem registrar as informações do contrato de seus funcionários na página eletrônica do Governo.

 Quais são as entidades participantes do sistema?

  • a Caixa Econômica Federal — CEF;
  • a Receita Federal do Brasil — RFB;
  • o Instituto Nacional do Seguro Social — INSS;
  • o Ministério da Previdência Social — MPS;
  • e o Ministério do Trabalho e Emprego — MTE.

Que documentos serão substituídos com a implementação do eSocial?

Antes do eSocial, as empresas eram obrigadas a processar vários documentos e remetê-los a diversos órgãos de fiscalização, como o Ministério do Trabalho, a Caixa Econômica, o INSS, entre outros.

Com o novo sistema, apenas uma guia será gerada e as informações deverão ser inseridas apenas uma vez. Elas serão compartilhadas no meio virtual pelas entidades consorciadas e poderão ser acessadas a qualquer tempo.

Com isso, vários documentos foram substituídos. São eles:

  • a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS);
  • o GFIP (Guia de Recolhimento do FGTS);
  •  o Comunicado de Acidente de Trabalho (CAT);
  •  a DIRF (Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte);
  •  a Comunicação do Seguro Desemprego;
  •  o PPP (Perfil Profissiográfico Previdenciário), etc.

Em que momento as informações devem ser registradas no eSocial?

As informações serão registradas apenas uma vez no momento de sua ocorrência.

Isso trará mais segurança no armazenamento, mais flexibilidade e simplicidade no envio e na posterior ratificação pelos órgãos competentes.

Quais são as mudanças na rotina do empregador?

O eSocial trouxe muitas mudanças na rotina das empresas, principalmente com relação ao cadastramento das informações relativas ao dia a dia e aos direitos trabalhistas dos empregados.

Ele exige o envio imediato dessas informações e os entes consorciados terão mecanismos eficazes para verificar se as empresas estão cumprindo às regras. Com isso, não será possível que as empresas forneçam informações erradas ou incompletas, pois o sistema faz o cruzamento de dados, e qualquer distorção será imediatamente identificada.

As principais mudanças serão as seguintes:

Admissões e demissões

A admissão de novos colaboradores deverá ser cadastrada no eSocial até o final do dia imediatamente anterior à contratação do empregado. Mas para isso é preciso habilitar o sistema para a recepção desse evento até trinta dias da data prevista para a contratação que está sendo informada. Se a contratação não se efetivar, o processo pode ser cancelado.

As dispensas de trabalhadores também deverão ser informadas no eSocial em até dez dias após a rescisão do contrato de trabalho, seja por qualquer forma de desligamento.

Folha de pagamento

O eSocial passou a ser visto como uma folha de pagamento virtual, já que se deve inserir nele todos os dados referentes à rotina dos trabalhadores, como o salário, as indenizações, horas extras, abonos, adicionais, descontos, entre outros. Esses eventos deverão ser encaminhados individualmente para o sistema eletrônico do eSocial.

O sistema impõe a observância do regime de competência para o fechamento da folha de pagamento. Desse modo, os eventos que ocorrerem dentro do mês terão que ser lançados na folha do respectivo mês e não no mês seguinte, como era comumente feito pelas empresas.

Jornada de trabalho

As informações sobre a jornada de trabalho são de cadastramento obrigatório no eSocial, que visa identificar o cumprimento das obrigações previstas na CLT, como o pagamento de horas extras, adicional noturno e o respeito aos intervalos intrajornada.

Os mesmos dados citados acima devem ser lançados junto com outras informações essenciais dos empregados, como o valor do salário, a função exercida, a existência de doença ou ocorrência de acidente de trabalho, entre outros.

Alterações salariais

Alterações salariais também devem ser informadas ao Governo no dia posterior à sua ocorrência com indicação da data de sua efetivação.

Esses dados devem ser cadastrados no sistema antes do envio do próximo evento envolvendo a remuneração do funcionário com o salário base modificado. A observância desse procedimento é indispensável, caso contrário o sistema acusará erro no cadastramento das informações relacionadas à folha de pagamento. 

Qual o prazo para aderir ao programa?

O eSocial foi criado no ano de 2014, mas ainda não está em vigor. O prazo para a sua implementação leva em conta o faturamento da empresa.

Para as organizações que tiveram faturamento acima de R$ 78.000.000,00 (setenta e oito milhões de reais) em 2016, o prazo limite para adesão ao sistema é o dia 1º de janeiro de 2018 e agora será por fases.

Para as demais empresas e para os órgãos públicos, o eSocial se torna obrigatório a partir de 1º de julho de 2018 e também será por fases.

O envio das informações referentes à saúde e à segurança dos trabalhadores, contudo, somente será compulsório após decorridos 6 meses do término dos prazos já mencionados (prazos limites).

Como vimos, o Social vai trazer mais celeridade, simplicidade e segurança na prestação, cadastramento e fiscalização das principais informações empresariais.

Com a sua implementação, haverá uma efetiva racionalização de processos dentro das organizações, pois esperamos que a burocracia seja diminuída.

Então, essa nova ferramenta vai trazer benefícios para todos, inclusive para os trabalhadores, que poderão gozar dos benefícios da transparência e segurança jurídica no cadastramento das suas informações no sistema. Assim, será mais fácil exigir os seus direitos. Já para as empresas, o eSocial vai evitar condições para a criação de passivos fiscais e trabalhistas com base em arbitramentos unilaterais pelo fisco, como não era incomum de ocorrer.

Continue atento às demandas da atividade empresarial brasileira assinando a nossa newsletter e recebendo periodicamente mais conteúdos como este!

 

Entenda o que é eSocial e quais suas vantagens

Entenda o que é eSocial e quais suas vantagens

Para centralizar o recebimento de todas as informações previdenciárias, trabalhistas e fiscais dos brasileiros, em 2014 o Governo Federal criou uma ferramenta chamada eSocial. A intenção é reduzir a burocracia para micro, pequenas, médias e grande empresas, além de funcionários domésticos e trabalhadores rurais.

Apesar de a criação dessa ferramenta ter ocorrido já há algum tempo, somente em 2018 ela será obrigatória nas relações de trabalho. Agora que você já sabe o que é eSocial, confira os tópicos que listamos abaixo e conheça as vantagens desse projeto.

Garantia dos direitos previdenciários e trabalhistas

Essa é a principal vantagem do eSocial. Proteger os direitos dos trabalhadores pode parecer complicado em razão de tantos tributos a serem pagos, guias a serem recolhidas e informações a serem levantadas na hora de requerer um benefício previsto por lei.

Com a plataforma, todo o histórico trabalhista do funcionário fica registrado no CPF, tornando mais simples e ágil a garantia de todos os direitos caso seja necessário um afastamento por doença ou invalidez, aposentadoria, utilização de FGTS, entre outras situações.

Simplificação do cumprimento das obrigações

Cumprir a legislação trabalhista e ficar em dia com as obrigações é mais fácil com o eSocial. A plataforma dispensa o preenchimento de inúmeras declarações e formulários, oferecendo uma desburocratização que esperamos facilitar muito a rotina dos escritórios contábeis.

Todos os dados previdenciários, fiscais e trabalhistas são inseridos em um arquivo online que é enviado via sistema aos órgãos competentes. O governo consegue acessar essas informações e fazer as análises necessárias para fiscalização.

Mais transparência na relação empregador e empregado

Tanto empregador quanto empregado podem acompanhar o cumprimento da legislação de maneira mais simples. Sabendo o que é eSocial, o funcionário consegue, ao informar seu CPF, verificar se os recolhimentos obrigatórios estão sendo feitos de maneira adequada, o valor de FGTS que ele tem depositado, se o pagamento do INSS tem sido feito corretamente, entre outras questões. Isso confere transparência à relação de trabalho.

Proteção contra fraude

A necessidade de se preencher inúmeras declarações e formulários aumentava a incidência de fraudes no sistema trabalhista. Com a centralização, a fiscalização contra sonegação ou golpes pode ser feita de maneira mais eficaz. Com isso, ganha o governo, que obtém a arrecadação correta, e o trabalhador, que tem seus direitos assegurados.

Entre as principais obrigações que devem ser informadas no eSocial estão admissão e desligamento do trabalhador, mudanças na jornada de trabalho, afastamentos temporários, aviso prévio, comunicação de acidente de trabalho, folha de pagamento, geração do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF), recolhimento do FGTS, Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF), Contribuição Previdenciária do Trabalhador, Contribuição Patronal Previdenciária, termo de rescisão, entre outros.

A plataforma surgiu prometendo facilitar o dia a dia dos escritórios de contabilidade, assegurar os direitos dos trabalhadores, otimizar a fiscalização do governo, aumentar a arrecadação e ainda resguardar os patrões, garantindo que estão em dia com os tributos exigidos e se prevenindo de possíveis passivos trabalhistas.

Entender o que é eSocial e como ele funciona é importante para cumprir a legislação da forma necessária. Os benefícios para a sociedade são inegáveis, por isso, as empresas devem se preparar para utilizá-lo da melhor maneira possível.

Gostou do texto e tirou suas dúvidas sobre o eSocial? Então, compartilhe o post na sua timeline e ajude seus amigos e colegas de trabalho a saberem mais sobre esse projeto tão importante!

Escritório de contabilidade e eSocial: quais são os desafios?

Escritório de contabilidade e eSocial: quais são os desafios?

A tecnologia chegou com tudo para revolucionar praticamente todos os setores. Sistemas novos surgem a todo momento para facilitar e otimizar os processos. Quer um exemplo? Você sabe quais as vantagens e os desafios da relação entre contabilidade e eSocial?

Previsto para entrar em vigor em janeiro de 2018, o sistema deverá aplicar-se a empresas que tenham um faturamento anual superior a R$ 78 milhões. Entretanto, a ideia é que, até julho, todas as empresas tenham aderido a ele, independentemente do faturamento. A implantação só está começando pelas maiores.

O objetivo principal é diminuir as fraudes que têm aumentado as despesas do governo com o Seguro Desemprego e outros benefícios. Trata-se de um sistema de escrituração digital, no qual as informações trabalhistas dos funcionários passarão a ser preenchidas em um único formulário que a enviará a todos os órgãos do sistema.

Entretanto, como toda mudança em fase de implementação, essa novidade traz consigo alguns desafios. Vencê-los significa ter acesso às vantagens provenientes deles. Se você está se perguntando como fazê-lo, listamos abaixo algumas boas práticas a serem adotadas. Confira!

Treinamento de colaboradores

De nada adianta avisar a todos os colaboradores que a empresa passará por mudanças e não explicar a eles como se dará o processo. É importante que as áreas de TI, financeira, fiscal, contábil, jurídica, medicina no trabalho e RH estejam cientes de tudo o que vai mudar.

Busque cursos e consultorias especializadas no assunto para que, quando chegar a hora da implantação do sistema, todos estejam cientes de como devem agir. Tudo fluirá naturalmente se cada um souber o seu papel nesse modelo de instituição. É por isso que é tão necessário que todos recebam o treinamento adequado.

Orientação aos clientes

Se os colaboradores precisam estar cientes das mudanças, os clientes também não devem ficar de fora dessa corrente de informação. As formas de entregar os dados ao fisco mudará, e eles também precisam saber disso.

Uma empresa que trabalha com essa transparência permite que o cliente também participe dos acontecimentos, quanto a regras e procedimentos. Dessa forma, fica mais fácil fazer correções ou solicitar alguma ação necessária: eles já estarão sabendo por que você está solicitando algo que nunca havia pedido antes.

Atenção às novas normas e procedimentos

Até agora falamos sobre informar colaboradores e clientes das mudanças que estão por vir. Mas e você? Sabe exatamente o que vai mudar e quais os novos procedimentos a serem aplicados?

Antes de mais nada, é importante buscar o máximo de informação possível sobre o eSocial. Como passar informação a outros departamentos e clientes quando nem você mesmo entende bem do que está falando? Portanto, antes de sair divulgando informações, certifique-se de que você entendeu corretamente o funcionamento do novo sistema e tire todas as suas dúvidas.

Análise da empresa

Se as pessoas são diferentes umas das outras, com as empresas não funciona de forma distinta. Algumas têm maior flexibilidade e abertura a mudanças do que outras. Portanto, diante de uma mudança que está por vir, você precisa analisar o grau de dificuldade de implantação.

A cultura da organização pode sofrer impactos, já que todos os setores ganharão novas responsabilidades e, até mesmo, atribuições. Há empresas altamente inovadoras, que veem mudanças como oportunidades de crescimento e desenvolvimento.

Outras, porém, não estão fechadas a mudanças, mas encontram alguma dificuldade para adaptar-se quando elas chegam. E há ainda aquelas que apresentam grande resistência a qualquer processo que fuja do “script” ao qual estão acostumadas. Esse último modelo pode demorar um pouco mais a entender o objetivo do novo sistema e por que deve aderir a ele.

É por isso que essa análise é tão importante para determinar as vias que serão utilizadas para que a organização se adapte ao novo sistema e tenha acesso as melhorias trazidas por ele.

O ideal é que a empresa incorpore em seus valores a ideia de que, na maior parte das vezes, as mudanças vêm para que melhorias sejam feitas. O crescimento não é possível quando não estamos abertos a mudar procedimentos e conceitos. Essa visão mais positiva ajuda a organização a adaptar-se melhor a novos procedimentos.

Identificação e correção de inconformidades

Se você já identificou o quanto a sua empresa é resistente a mudanças, chegou a hora de descobrir o quanto ela precisará mudar. Para isso, é necessário identificar processos que estão sendo feitos de maneira errada para poder adequá-los às novas regras.

Faça uma análise tributária a fim de identificar irregularidades e não hesite em corrigí-las. Persistir no erro pode trazer uma série de transtornos futuros. E isso é desnecessário visto que agora você já conhece as novas regras.

A partir daí, é possível desenvolver uma espécie de cartilha com o passo a passo e a documentação necessária para cada processo. E o departamento responsável deve estar ciente disso e consultá-la sempre que surgir alguma dúvida.

E o que a empresa “ganha” com isso?

A essa hora você deve estar se perguntando quais os benefícios que esse sistema traz para a empresa. Uma das grandes vantagens é o alinhamento e padronização de informações. Todas as organizações e empresas contábeis utilizarão um sistema unificado e isso permite a troca de informações e experiências entre os profissionais.

Um outro aspecto importante é a agilidade no envio de informações. Quando falamos em um sistema online, estamos nos referindo à troca de dados em tempo real. Sendo assim, o funcionário não fica sujeito à grande espera para concretizar sua contratação ou rescisão. Os prazos de envio de formulários não mais existirão: tudo será transmitido através do eSocial.

Além disso, o relacionamento entre empresas, seus contadores e o fisco se tornará mais estreito e transparente, visto que as informações correrão em tempo real e se tornarão mais precisas e corretas.

 

Entendeu quais são as vantagens e desafios da relação entre contabilidade e eSocial? Viu só como esse novo sistema pode ajudar a sua empresa no desenvolvimento? Contar com uma boa contabilidade nessas horas é fundamental. Entre em contato conosco e tenha acesso aos melhores serviços contábeis do mercado.

6 dicas para melhorar a gestão do escritório de contabilidade

6 dicas para melhorar a gestão do escritório de contabilidade

Já há algum tempo que a contabilidade deixou de ter aspecto apenas operacional e tornou-se uma tarefa estratégica para as organizações. Contar com o auxílio de uma consultoria contábil tem importância fundamental para a sobrevivência de pequenas e médias empresas.

A forte demanda na área, especialmente nesses tempos de crise, tornou imprescindível que os escritórios de contabilidade estejam atentos à melhoria de seus processos de gestão, a fim de estarem aptos a realizar seus serviços de forma eficiente.

Nesse cenário, aqueles que desejam aumentar sua produtividade e conquistar reconhecimento e credibilidade perante o mercado, precisam conhecer e adotar algumas atitudes estratégicas.

Administrar um negócio não é uma tarefa simples, mas, seguindo essas 6 dicas, você aprenderá a melhorar a gestão do escritório de contabilidade.

1. Definir corretamente os honorários contábeis

Muitos escritórios têm dificuldades em precificar seus serviços, mas a boa gestão dos honorários contábeis é fundamental para os resultados da empresa. É preciso que haja um equilíbrio para manter o escritório competitivo perante o mercado sem perder seu potencial de ser lucrativo. 

Para melhor administrar essa questão, o ideal é conhecer bem seus custos e a produtividade de sua equipe de trabalho, além de analisar cuidadosamente os projetos para precificá-los de acordo com o tempo que demandam e com a complexidade do serviço.

Seu tempo é muito importante, portanto valorize-o, cobrando um valor adequado pelo seu trabalho. Não use o preço como seu único diferencial: invista na qualidade do serviço oferecido. Seu cliente certamente vai reconhecê-lo por isso.

2. Ter total conhecimento dos contratos

Os contratos são verdadeiros guias para o contador, por isso é fundamental observar, com muita atenção, todas as suas cláusulas, atentando-se às solicitações de serviços e aos prazos de entrega. 

Dessa forma, você vai se ater a realizar exatamente o que o contrato prevê, sem perder tempo fazendo mais do que é necessário, mas garantindo que o cliente fique satisfeito com o cumprimento daquilo que foi acordado.

O contrato também servirá para uniformizar as informações que todos os funcionários terão a respeito do cliente e da execução do serviço.

3. Definir processos de forma clara

A definição e o controle de processos são fundamentais para a boa gestão de qualquer negócio. Para o escritório de contabilidade não é diferente: processos claros e eficientes tornam o serviço mais uniforme e aumentam a percepção de sua qualidade.

Uma importante ferramenta de gestão  que pode ajudar nesse sentido  é o ciclo PDCA, que é composto por 4 etapas:

  • plan (planejar): o planejamento é fundamental para o bom desenvolvimento de qualquer atividade. Por meio de reuniões periódicas, é possível fazer um alinhamento de ideias e objetivos, de modo a criar um plano de ação;
  • do (fazer): é a fase de implementar o planejamento, executando as etapas antes definidas, atentando-se para a otimização de recursos;
  • check (verificar): é o momento de checar se os objetivos traçados foram alcançados, comparando o que foi planejado com o que foi, de fato, realizado;
  • action (agir): essa etapa consiste em fazer as correções necessárias e, se for preciso, traçar novos planos. A partir disso, o ciclo reinicia, criando um processo de busca por melhoria contínua.

4. Criar metas e estratégias de avaliação 

Todo profissional precisa saber para onde está indo e onde pretende chegar. A partir do estabelecimento de seus objetivos, é possível determinar algumas metas, ou seja, maneiras de quantificar esses objetivos em frações menores, determinando um período de tempo para conclusão.

Nesse sentido, há uma ferramenta importante que pode ser adotada na gestão do escritório de contabilidade: as metas SMART. Ela indica que suas metas devem ser: específicas, mensuráveis, alcançáveis, relevantes e temporais.​

Para isso, estabeleça metas possíveis, com periodicidade mensal, semestral ou anual, e divulgue-as de forma clara para a sua equipe. Incentivos, como premiações e bonificações, podem ajudar a motivar os colaboradores a trabalhar com mais afinco para alcançá-las.

Mas de nada adianta criar metas se você não fizer um acompanhamento de seu cumprimento. Por isso, é fundamental criar mecanismos de avaliação que possam medir os resultados e detectar a eficiência da condução do trabalho. Havendo resultados negativos, será possível determinar os ajustes necessários.

5. Melhorar a comunicação

A comunicação tem importância fundamental nos resultados de uma empresa, pois sua ineficiência pode ser motivo de grandes falhas e desentendimentos.

Manter uma boa comunicação interna — com colaboradores, clientes, fornecedores e parceiros — garante o alinhamento das informações e a melhoria do relacionamento interpessoal entre todos os envolvidos.

Além disso, ela também possibilita o engajamento dos funcionários com os objetivos e com o discurso da organização, sem falar na melhoria para o clima organizacional e a produtividade da equipe.

Por isso, incentive sempre a comunicação clara e acessível, com processos mais simples, que eliminem possíveis barreiras e permitam um diálogo transparente em todas as situações.

6. Investir em tecnologia

Na rotina de um escritório de contabilidade, é comum que se perca muito tempo com processos manuais e com a alta demanda de documentação dos clientes. Tarefas essas que, quando automatizadas, otimizam todos os processos e o uso do tempo.

A tecnologia se tornou excelente aliada das empresas, e adotar um sistema de gestão proporciona inúmeras vantagens. O uso de um software personalizado contribui de forma positiva no dia a dia de um escritório e, entre outros benefícios:

  • facilita o lançamento de dados;
  • sincroniza as informações;
  • proporciona maior controle financeiro;
  • melhora a qualidade do serviço prestado;
  • otimiza o fluxo de trabalho;
  • diminui o trânsito de documentos físicos no escritório.

O profissional que deseja se destacar na área contábil precisa estar preparado para atuar de maneira estratégica, utilizando a tecnologia a favor da otimização dos processos de trabalho.

Como você pode ver, a adoção de práticas para a gestão do escritório de contabilidade é fundamental para mantê-lo competitivo e capaz de ofertar serviços de qualidade para seus clientes. Somente dessa forma será possível adquirir as condições necessárias para crescer e alcançar mais espaço no mercado. 

Gostou dessas dicas e pretende aplicá-las para melhorar as práticas de gestão no seu trabalho? Aproveite para complementar ainda mais seus conhecimentos lendo nosso post sobre 6 vantagens de usar um software personalizado.

Consultoria contábil: como gerar valor para seu cliente?

Consultoria contábil: como gerar valor para seu cliente?

Para as empresas de consultoria contábil, a chave para o sucesso é encontrar maneiras de oferecer vantagens e benefícios adicionais, mesmo aos clientes mais difíceis. Você pode gerar valor, oferecendo benefícios adicionais em relação aos serviços e/ou produtos padrão.

São esses diferenciais que distinguirão a sua organização da concorrência, o que, por sua vez, contribuirá para atrair e reter mais clientes. Ao longo deste artigo, apresentamos alguns elementos cruciais para garantir o sucesso de suas iniciativas. Boa leitura!

Compartilhe ideias sem cobrar por isso

Cobrar os clientes por cada um dos conselhos fornecidos pode dar a impressão de que você apenas se preocupa com dinheiro. Tal imagem negativa prejudica o estabelecimento de relações sólidas e duradouras com eles.

Por outro lado, o compartilhamento regular e gratuito de informações demonstra que você está pessoalmente comprometido com o sucesso de seus negócios, o que ajuda a gerar valor e confiança, itens fundamentais para a consolidação de bons relacionamentos de negócios.

Aposte no longo prazo

Tem havido, recentemente, um movimento de afastamento da cultura baseada em “horas trabalhadas”. Os escritórios de contabilidade passaram a estar mais envolvidos nos processos de seus clientes e a realizar isso em uma base mais regular.

Tal atitude demonstra compromisso, otimiza o trabalho e a qualifica as comunicações, gerando mais valor e, consequentemente, diminuindo as chances de que os clientes considerem migrar para algum concorrente.

Uma abordagem de curto prazo, por definição, apenas resulta em sucesso a curto prazo. Se você está focado em sempre atrair novos negócios em vez de investir nos clientes que já tem, é bastante improvável que sua organização realmente floresça.

Como em quase todos os demais aspectos da vida, a famosa regra de Pareto também é aplicável nesse quesito. Ou seja, 20% dos seus clientes garantem 80% dos seus lucros. Portanto, é imperativo investir, a longo prazo, nos relacionamentos que já foram bem consolidados.

Realize webinars gratuitos

Essa é uma forma eficaz para oferecer informações comerciais, dicas e pareceres especializados a seus clientes. Esses seminários organizados on-line são fáceis de configurar, sendo uma ótima opção para os analistas contábeis fornecerem conselhos profissionais sem ter que encontrar cada cliente pessoalmente.

Escreva e compartilhe artigos para comercializar seus conhecimentos

Muitos profissionais de contabilidade têm produzido artigos interessantes e informativos para compartilhar com seus clientes. Tal iniciativa gera valor agregado ao possibilitar um meio adicional de se envolver com os clientes e pode ajudar você a se afirmar como um renomado líder no setor.

Suas postagens podem ser compartilhadas de várias maneiras: publicadas no site da empresa, em um blog, no LinkedIn, no Twitter e outras redes sociais, via e-mail para sua base de clientes existentes etc.

Ao compartilhar seu próprio conteúdo e outros relativos à sua área, você ampliará a conscientização e gerará valor não apenas para os clientes atuais, mas também para os potenciais.

O mundo da contabilidade baseia-se na premissa de vender tempo ou serviços. Se você quiser, por exemplo, ter sucesso como um confiável consultor de pequenas empresas e mudar seu paradigma, precisará se concentrar em comunicar o seu verdadeiro valor para essas organizações, isto é, seus conhecimentos e experiências.

Não subestime a importância de desenvolver um plano de marketing para ajudá-lo a reposicionar o seu negócio e divulgar o que tem para oferecer. A boa notícia é que existem, no mercado, muitas ferramentas e aplicativos que você pode utilizar para ajudá-lo a começar. Basta encontrar aquela que melhor se ajuste aos seus planos.

Procure oportunidades para lançar sua experiência na mídia, seja por meio de entrevistas, artigos ou blogs — que, por sinal, são muito úteis para quem deseja divulgar sua experiência profissional e direcionar mais tráfego para seu site.

Vá além da consultoria contábil

Outra importante tendência a ser observada consiste no fato de que muitos analistas contábeis estão começando a oferecer a seus clientes serviços de consultoria adicionais, indo além das limitações de suas especialidades.

Essa é uma excelente estratégia para assegurar que seus clientes recebam o valor que merecem. Sendo assim, analise suas principais necessidades e utilize todo o seu talento e criatividade para surpreendê-los com soluções inovadoras.

Aprenda com a concorrência

Comece avaliando o que os concorrentes estão fazendo. Quem são eles e como você os analisa?

Se, por exemplo, você quiser se concentrar em um determinado nicho de mercado, tornando-se um especialista em franquias ou em planejamento de sucessão, será necessário aprender tudo o que puder sobre as empresas ou os indivíduos que já atuam nesses campos.

Em seguida, encontre uma maneira de estabelecer contato com eles e aprender com suas experiências. Obviamente, você não desejará estreitar relações com concorrentes diretos, então, procure além da sua localidade ou utilize as redes sociais (principalmente o LinkedIn) para esse fim.

Priorize os planos de crescimento e expansão dos seus clientes

À medida que você começar a sair de sua zona de conforto e procurar aprofundar e qualificar os relacionamentos com os clientes, certifique-se de efetivamente envolvê-los. Isso significa adotar uma postura que o leve a priorizar o sucesso empresarial dos seus clientes.

Agende reuniões ou leve-os para almoçar a fim de discutir não apenas suas necessidades contábeis, mas também seus planos de crescimento. Mantenha as conversações girando em torno de questões, como:

  • a situação do seu fluxo de caixa e a existência de áreas onde as operações possam ser simplificadas e os custos reduzidos;
  • os principais riscos enfrentados;
  • a existência de limitações de ordem regulamentar ou jurídica que podem afetar suas práticas comerciais atuais ou futuras.

Outras formas de gerar valor incluem identificar lacunas no mindset (ou mesmo no rol de conhecimentos técnicos) do cliente e oferecer sessões de treinamento com preços acessíveis para ajudá-lo a se atualizar. A contabilidade é o ponto fraco de muitas empresas (sobretudo, as de menor porte) e um excelente ponto de partida.

Essas sessões devem ser extremamente úteis para o seu cliente e, quanto mais inovações agregar aos seus serviços de consultoria contábil, maiores serão as chances de gerar valor.

E aí, gostou do nosso post? Então, não perca a oportunidade de alavancar os resultados da sua empresa: entre em contato conosco e conheça as melhores soluções para o seu negócio!