Com a chegada do fim do ano, aumenta a expectativa de crescimento em diversos setores da economia, como o varejo. Isso acontece graças a importantes benefícios previstos para o período. Um deles é o 13º salário.

Também conhecido como gratificação de Natal, o benefício foi criado, no Brasil, em 1962. Ele garante ao trabalhador receber o equivalente a 1/12 de sua remuneração por mês trabalhado, ou seja, ao final de um ano chega-se à soma de um salário adicional.

Neste artigo, reunimos dicas que vão ajudar você a entende como calcular o 13º salário  de forma correta para os funcionários de uma empresa. Confira!

Como calcular o 13º salário?

O cálculo do benefício é feito a partir do salário integral do trabalhador. O valor total deve ser dividido em 12 vezes, que corresponderão aos meses ao longo do ano.

Para chegar à conta final, basta multiplicar esse valor pela quantidade de meses trabalhados.

Por exemplo: se o seu funcionário tem um salário bruto de R$ 2.400,00, dividindo esse valor por 12 chegaremos ao valor de R$ 200. Pensando que ele trabalhou um total de 10 meses, o décimo terceiro salário devido é de R$ 2.000,00.

É importante reforçar que adicionais como hora extra, adicional noturno, seguro insalubridade, comissões e outras bonificações também devem ser incluídos nessa conta.

Já nos casos de falta, excedendo o número de 15 ausências não justificadas em um mês, o trabalhador perde o direito de receber o 1/12 referente àquele período.

Quais os prazos para pagamento do benefício?

Chamada de adiantamento, a primeira parcela do benefício deve ser paga entre os dias 1º de fevereiro e 30 de novembro. Já a segunda parte do pagamento ocorre sempre até o dia 20 de dezembro.

Contudo, as datas de pagamento dependem de suas respectivas posições no calendário anual. Exemplo: se a data limite cair em um domingo ou feriado, o empregador deve antecipar o pagamento para o último dia útil anterior.

Lembre-se de que a primeira parcela do décimo terceiro é sempre livre de descontos. Na segunda parte do pagamento são descontados os valores referentes aos encargos de INSS e Imposto de Renda.

Ainda para o caso da primeira parcela, essa pode ser paga acompanhada das férias do trabalhador. Para ter direito a esse formato de adiantamento, é necessário fazer uma solicitação por escrito ao empregador até o mês de janeiro do ano previsto para o descanso.

Como proceder em caso de rescisão de contrato?

Nos casos de rescisão contratual, o pagamento do 13º salário deverá ser realizado proporcionalmente ao tempo de atuação na empresa.

Portanto, se o funcionário teve 90 dias trabalhados, desde o início do na,o ele terá direito a 3/12 do valor referente ao benefício, e assim sucessivamente.

Quem tem direito ao 13º salário?

Segundo as diretrizes que definem quem pode ou não ter acesso ao 13º salário, estão aptos a receber o benefício:

  • trabalhadores com carteira assinada (domésticos, urbanos, rurais ou avulsos);
  • aposentados e pensionistas do INSS.

No caso dos trabalhadores, aqueles que exerceram sua atividade por um período de 15 dias ou mais já têm direito ao abono salarial.

Se para os trabalhadores é um momento muito esperado, para as empresas a chegada do fim do ano pode ser um tormento.Com a obrigatoriedade do pagamento, muitos empresários sofrem pela falta de planejamento financeiro. Portanto, sabendo como calcular o 13º salário e investindo em organização, será muito mais fácil gerenciar o pagamento desse benefício.

E você, o que achou das nossas dicas? Curta nossa fanpage e acompanhe as principais novidades sobre gestão empresarial!