Quando você está preocupado com suas dívidas e tenta decidir a melhor maneira de resolver seus problemas financeiros, é comum se sentir perdido e sem saber o que fazer. O impacto psicológico também é um fator importante: como adultos, esperamos saber administrar nosso dinheiro corretamente.

Para te ajudar, apresentamos, ao longo deste post, 4 excelentes dicas que o ajudarão a lidar melhor com as dívidas e equilibrar suas finanças pessoais. Boa leitura!

1. Compre apenas com dinheiro por 2 semanas

Você se lembra de quando foi a última vez que pagou suas contas apenas com dinheiro vivo? Os cartões de crédito e débito levam muitas pessoas a desenvolverem hábitos de compra nocivos, se perdendo entre a tênue linha que separa o que pensam que podem pagar no próximo mês e aquilo que, de fato, conseguem pagar.

Utilizar apenas dinheiro, ao menos por um período determinado, faz com que seja muito mais fácil identificar os recursos que você dispõe para comprar ou não determinado produto ou serviço. Como benefício imediato, você reduz a contração de novas dívidas.   

2. Monitore todos os seus gastos

Para onde vai seu dinheiro? Em cada dia de pagamento, há dinheiro na conta, no entanto, ele nunca parece durar o suficiente, não é mesmo?

Para superar essa dificuldade, monitore suas despesas. Registre tudo o que gastar. Desde pequenas compras, como um cafezinho na padaria, até gastos mais elevados, certifique-se de não deixar nada passar.

3. Analise seu orçamento mensalmente

Analisar o orçamento é uma das coisas mais inteligentes que você pode fazer para recuperar suas finanças. Contraditoriamente, essa é uma das soluções mais negligenciadas pela maioria das pessoas que se encontram endividadas.

Essa estratégia torna a vida muito mais fácil, pois você adquire um verdadeiro guia para decidir como gastar e poupar seu dinheiro.

4. Crie um plano para pagar suas dívidas

Muitas pessoas optam por realizar pagamentos mínimos a cada mês e não refletem sobre as chances de conseguir se livrar, de vez, da dívida em questão. O primeiro passo para atingir esse objetivo é elaborar um plano para eliminá-la:

  • calcule sua dívida total: em um caderno ou aplicativo, anote o nome de cada credor, o montante devido, o valor mensal e as taxas de juro incluídas. Dependendo de seus objetivos principais, você pode querer considerar apenas dívidas com juros altos, como cartões de crédito e empréstimos pessoais;

  • determine o quanto você pode pagar: use seu orçamento para ajudar você a descobrir o que pode ser gasto em dívidas a cada mês. Determine o total de renda oriundo de fontes confiáveis (salários, pensões, bônus ou dividendos) e subtraia as despesas essenciais.

Todas essas medidas não adiantarão se você não estiver comprometido em colocar seu plano em ação. Portanto, revise-o à medida que você progride no pagamento de suas dívidas. Se a sua situação financeira mudar, com acréscimos ou perdas de renda, você deve atualizá-lo. O mais importante é que ele seja realizável.

Gostou do nosso artigo? Quais ações você realiza para garantir uma boa gestão de suas finanças pessoais? Deixe um comentário no post e divida conosco sua experiência!